Redes Sociais – passo a passo para gerar resultados

Ter em mãos um planejamento para redes sociais é essencial para aproveitar todo o potencial que as mídias digitais oferecem.

O uso desestruturado destes canais traz a falsa sensação de que eles não trazem retorno, enquanto empresas que sabem como utilizar as redes saem na frente.

Se você não sabe por onde começar e nem como colocar esse trabalho em prática, vamos dar algumas dicas para organizar o processo e gerar melhores resultados.


Por que realizar um planejamento

  • Permite explorar ao máximo o potencial das redes sociais;
  • Propicia uma administração mais rápida e simples do trabalho;
  • Oferece maior controle de resultados;
  • Ajuda na programação planejada de postagens;
  • Auxilia no entendimento da necessidade do seu público;
  • Aumenta a fidelização da sua audiência;
  • Oferece maior controle sobre o sucesso das publicações;
  • Otimiza esforços na realização do trabalho.

Tendo ciência da importância do planejamento dessas ações, separamos três tópicos para detalhar as etapas de preparação e execução de um plano eficiente.


CRIANDO UMA ESTRATÉGIA

Determine o objetivo do canal. Ele pode ter seu foco em diversos objetivos, como:

  1. Aumentar a percepção da marca;
  2. Realizar vendas diretas;
  3. Conquistar seguidores;
  4. Conquistar leads;
  5. Dar suporte ao usuário;
  6. Divulgar um produto/serviço;
  7. Aumentar o tráfego do seu blog;
  8. Estreitar o relacionamento com seu público;
  9. Outros.

Às vezes, após um certo período, essa estratégia pode não ter mais sentido, já que o seu objetivo/meta foi modificado. Então é hora de voltar a este tópico e repensar o foco da sua estratégia. Trata-se de um processo comum e totalmente plausível.


Entenda o desempenho dos canais

Aqui, a pergunta fundamental é: como saber se estou alcançando meu objetivo?

O segredo é olhar para números que estejam diretamente relacionados à resposta e ao cerne da sua estratégia.

Exemplos:

Se o objetivo for aumentar a percepção de marca, os indicadores a serem analisados são os números de menções a sua empresa em redes sociais, o engajamento da sua audiência com a página e o alcance das suas publicações podem ser números que te expliquem isso.

Se o objetivo for gerar vendas, é possível olhar para o número de leads gerados pelas redes, o número de vendas diretas realizadas, assim como o número de visitas de usuários a um site de e-commerce explicam o que está acontecendo quando os esses canais são acionados.

Enfim, acompanhar esses números continuamente mostra o que funciona e o que não funciona da sua estratégia, e isso faz toda a diferença na hora de gerar resultados.


Padronizando o ambiente

O importante aqui é saber que um dos papéis desses canais é proporcionar a melhor experiência possível para seus usuários/clientes e que eles servirão de ferramentas de representação da sua empresa, do seu negócio e da sua personalidade 24h por dia, junto a esse público.

Por isso, suas redes sociais devem manter uma identidade visual coesa, fazendo que quando o cliente estiver em qualquer um desses endereços ele sinta que está na sua empresa, vendo você, conversando com a sua equipe.

Assim, a descrição da empresa, a bio, devem estar sempre atualizadas, com links corretos e pensados da melhor forma para gerar os resultados que você busca (tráfego, venda, curtidas etc.).

Garantir uma boa impressão e consistência nos seus perfis é o primeiro passo para que seus seguidores enxerguem seu negócio da maneira como você deseja.


PRODUZINDO O CONTEÚDO

Muitas vezes, as empresas não dispõem de uma equipe destinada a cuidar da estratégia de redes sociais, mas, mesmo assim, é interessante que algumas adaptações sejam feitas na hora de compartilhar seu conteúdo pelos diferentes canais. De qualquer forma é hora de definir a agenda de postagens.

Caso você não tenha ideia do que seu público gostaria de ver, colocamos na tabela abaixo os valores aproximados que empresas especialistas citam como um ótimo trabalho:

  • Facebook:          3 a 10 vezes por semana;
  • LinkedIn:            2 a 5 vezes por semana;
  • Pinterest:           5 a 10 vezes por dia;
  • Youtube:            1 a 5 vezes por semana;
  • Twitter:              pelo menos 5 vezes por dia.

É importante ressaltar que essa tabela serve de guia, mas não precisa ser uma regra.


Como conversar com o público

Falar a língua do seu cliente é fundamental e, considerando que você o conheça bem, pense sobre o que é necessário para ele se sentir à vontade lendo, assistindo ou ouvindo seus conteúdos. Por isso considere algumas perguntas:

O material deve ser mais formal, mais leve, rápido, profundo, divertido? Quais palavras-chaves determinam o assunto sobre o qual estou tratando? Essas palavras-chaves são mesmo importantes? O assunto é relevante? O que faria o usuário clicar nesta postagem para saber mais sobre a minha empresa? Seja crítico, pense como um consumidor de conteúdos, o que faria você tomar essas decisões?

E se sua empresa não dispõe de tempo para tornar suas postagens totalmente adaptadas, há muitas empresas e profissionais que podem cuidar disso para você. Sempre há uma opção do tamanho certo para sua necessidade.


Conteúdos vencedores

Depois de algum tempo postando conteúdos diversos você terá um histórico do que mais agrada o seu público, o que melhor o seleciona e o que mais te traz retorno. Então é hora de fazer um levantamento nos seus perfis e descobrir quais conteúdos tiveram um desempenho acima da média.

Tente entender o que chama a atenção da sua audiência e então atribua as características dessas postagens a outros materiais. Inspire-se neles e trabalhe os novos conteúdos vencedores.

Caso sinta dificuldade na hora de gerar novos materiais, reúna-se com a sua equipe. Pergunte para o pessoal de atendimento quais são as principais dúvidas dos clientes. Questione os clientes sobre o que eles gostariam de ler. Faça um benchmarking e veja sobre o que seus concorrentes “conversam”. Tudo isso pode lhe servir de inspiração.

Mas preste atenção, utilizar referências não significa copiar, mas sim entender como as coisas podem ser feitas de maneira diferente.

Seguem alguns exemplos de tópicos que você pode explorar:

  • Cotidiano da empresa;
  • Datas comemorativas;
  • Estímulo à interação (enquetes, testes e perguntas);
  • Conteúdo informativo e curiosidades;
  • Posts produzidos pelos usuários;
  • Notícias e atualidades do seu ramo.

Agendando as postagens

Conteúdos escolhidos, criados e revisados. É hora de montar a sua agenda de postagens. Trata-se de uma programação com os dias da semana e os horários em que cada post deverá ser publicado.

Nesta etapa você pode fazer um teste AB, inicialmente, para descobrir os horários que mais dão resultado. Outra opção é utilizar as ferramentas oferecidas pelos canais. Todas elas dizem quantos usuários visitaram a sua página hora a hora, dia a dia, e assim você poderá programar as postagens nos momentos de pico de cada canal.


Outras formas de potencializar seu alcance

Para aumentar o alcance de efeito do seu canal, outras políticas podem ser praticadas.

Interagir com outras empresas do seu nicho nas redes sociais pode ser uma boa forma de estabelecer contato e conseguir parcerias para divulgar seus conteúdos, por exemplo.

Estimular seus seguidores a produzir conteúdos com seus produtos é uma forma interessante de ampliar sua influência, aproximar e aumentar sua audiência.

Influenciadores digitais, dependendo do segmento de atuação, podem ser uma ótima opção. Hoje eles são uma das grandes tendências. Certifique-se apenas de trabalhar com um profissional que compartilhe dos valores da sua empresa.


ANALISANDO RESULTADOS

Esta é a terceira etapa da elaboração de sua estratégia. O momento analítico do processo, para ajudar a entender o que foi bem-sucedido e o que pode ser ajustado em relação ao planejamento.

Fazer uma análise e contrastar resultados com o que você traçou como objetivo na primeira etapa do planejamento é uma das partes mais importantes do processo. É este olhar analítico que vai te ajudar a determinar o sucesso das suas ações.

Você deve realizar esta análise de dados pelo menos uma vez por mês, embora o ideal é que isso seja feito semanalmente. Desta forma você passa a ter tempo hábil para intervir e pensar em formas de contornar resultados abaixo do esperado assim que eles surgem.


Ajustando a estratégia

Quando você tem em mãos dados que representam a realidade dos resultados, você pode verificar os motivos que levaram o seu planejamento a falhar, caso isso aconteça. E isso é um diferencial da internet. Ter a capacidade de mensurar todas as atividades com grande detalhamento é ter poder para tomar providências rápidas e minimizar erros.

Nesses casos, você pode voltar e entender em que parte da estratégia está localizada a fraqueza e então corrigir tudo de maneira rápida, eficiente e com baixíssimo custo.

É importante salientar para quem está começando que caso seu planejamento inicial não seja 100% eficiente, isso não é um problema. Você está reunindo dados, conhecendo o seu público e como ele se porta em um ambiente diferente. E saberá como fazer melhor o que foi feito antes. E isso não pode ser visto com maus olhos.

É normal que leve um tempo para conhecer bem as melhores práticas, seus números e realizar projeções de acordo com o tamanho do seu perfil.


Mídia paga

A mídia paga depende da estratégia de cada empresa, assim como da disponibilidade de investimento de cada um. Nesse caso, no início do planejamento, além de se perguntar ONDE você quer chegar, você deve também se perguntar QUANDO. E se a resposta à segunda pergunta for um prazo curto, em contraste à maturação natural do comercial da empresa, o processo de divulgação exige investimento para poder alcançar um público maior em menor tempo.


A estratégia não é estática

A sua estratégia deve ser orgânica, ou seja, ela muda com o tempo, ela precisa ser constantemente consultada e adaptada, à medida que for necessário.

Fonte: Universidade Rock Content

No Comments
Leave a Reply

× WhatsApp